domingo, 9 de novembro de 2014

ALEGRAI-VOS!!!

Caríssimos Irmãos e Irmãs,
1. «A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Com Jesus Cristo, nasce e renasce sem cessar a alegria ». O início da Evangelii gaudium soa, na linha do magistério do papa Francisco, com surpreendente vitalidade, apelando ao mistério admirável da Boa-Nova que, ao ser acolhida no coração de uma pessoa, transforma a sua vida. É-nos contada a parábola da alegria: o encontro com Jesus acende em nós a beleza originária, a beleza do rosto no qual resplandece a glória do Pai (cf. 2Cor 4, 6), no frutto da alegria. Esta Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica convida-vos a refletir sobre o tempo de graça que nos é dado viver, sobre o especial convite que o Papa dirige à vida consagrada. Acolher tal magistério significa renovar a vida segundo o Evangelho, não no sentido de radicalidade entendida como modelo de perfeição e, muitas vezes, de separação, mas no sentido de adesão toto corde ao encontro de salvação que transforma a vida: « Trata-se de deixar tudo para seguir o Senhor. Não, não quero dizer radical. A radicalidade evangélica não é só para os religiosos: a todos se exige. Mas os religiosos seguem o Senhor de modo especial, de modo profético. Espero de vós esse testemunho. Os religiosos devem ser homens e mulheres capazes de despertar o mundo ». Dentro das limitações humanas, nas preocupações do dia a dia, os consagrados e as consagradas vivem a fidelidade, dão razão da alegria que vivem, convertem-se em testemunho luminoso, anúncio eficaz, companhia e proximidade para com as mulheres e homens do nosso tempo que procuram a Igreja como casa paterna. Francisco de Assis, tomando o Evangelho como forma de vida, « fez crescer a fé, renovou a Igreja; e, ao mesmo tempo, renovou a sociedade, tornando-a mais fraterna, mas sempre com o Evangelho, com o testemunho. Pregai sempre o Evangelho e, se for necessário, pregai-o também com as palavras! ». Muitas são as sugestões que nascem da escuta das palavras do Santo Padre, mas interpela-nos particularmente a simplicidade absoluta com a qual o papa Francisco propõe o seu magistério, conformando-se com a genuinidade desarmante do Evangelho. Palavra sine glossa, espalhada com o gesto amplo do bom semeador que, cheio de confiança, não faz discriminação de terreno. Um convite autorizado que nos é dirigido com plena confiança; um convite a renunciarmos às argumentações institucionais e às justificações pessoais; uma palavra provocadora que questiona o nosso viver, por vezes entorpecido e sonolento, e com frequência indiferente ao desafio: « Se tivésseis fé como um grão de mostarda » (Lc 17, 5). Um convite que nos incentiva a elevar o espírito para darmos razão ao Verbo que habita no meio de nós, ao Espírito que cria e renova constantemente a sua Igreja. Esta Carta surge a partir deste convite e pretende dar início a uma reflexão partilhada, ao mesmo tempo que se apresenta como simples meio para um confronto leal entre o Evangelho e Vida. Este Dicastério desencadeia assim um percurso comum, lugar de reflexão fraterna, pessoal, institucional, rumo a 2015, ano que a Igreja dedica à vida consagrada. Alimentamos o desejo de que ousadas decisões evangélicas venham a ser postuladas e se produzam frutos de renovação e de fecunda alegria: «O primado de Deus é, para a existência humana, plenitude de significado e de alegria, porque o ser humano é feito para Deus e não descansa enquanto não encontrar nele a paz ».

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Jubileu dos 40 anos de Fundação

Parabéns Fraternidade Mariana
                                                                               do Coração de Jesus

Alguns fatos que marcaram a história da Fraternidade nesses 40 anos.

02 de agosto de 1974-Início da Fraternidade Mariana do Coração de Jesus
06 de agosto de 1974 - Pe. Aloísio e as 3 primeiras foram se apresentar ao Bispo D.Gregório,para iniciarem a convivência
27 de agosto de 1975 - Ganhamos licença para termos o Santíssimo em casa
Início do ano de 1977- Pe. Aloísio é transferido para Pomerode e assim inicia a formação da vida fraterna
02 de agosto de 1978 - Inauguração da primeira casa da Fraternidade
15 de julho de 1979- Primeira consagração das 5 primeiras
11 de fevereiro de 1980 - Iniciamos,a pedido do Bispo D.Gregório,o trabalho no seminário Divino Espírito Santo
30 de dezembro de 1980 - Início dos trabalhos e vivências no Noviciado Nossa Senhora de Fátima
11 de fevereiro de 1982 - Início dos trabalhos no Centro Shalom - Nereu Ramos
02 de agosto de 1982-Começamos a vivência e os trabalhos na Casa Pe. Dehon - em Brusque
01 de dezembro de 1982 - Pe. Aloísio vai morar em Nereu Ramos,iniciando assim a etapa importante da vida dele e da formação da Fraternidade
26 de julho de 1994 - A Fraternidade tornou-se Associação Pública de Fiéis
15 de março de 1995 - A consagração da primeira leiga consagrada na Fraternidade
02 de agosto de 2004 - Inauguração da nossa casa na Barra do Rio Cerro
17 de abril de 2006 - Partida do nosso pai Pe. Aloísio,para o céu
26 de maio de 2014 - Ida para Varginha e início da Fraternidade lá
02 de agosto de 2014 - Celebração de uma grande ação de graças ao Senhor,pelos 40 anos da Fraternidade Mariana do Coração de Jesus

Deus seja louvado por toda essa bela história de amor e misericórdia que o Senhor realizou conosco.Sabemos que Ele fará coisas maiores ainda. Nas mãos de Nossa Senhora entregamos o nosso futuro.

domingo, 20 de julho de 2014

Missa de acolhida

No dia 08 de Junho, Solenidade de Pentecostes, as Irmãs Teresinha Demenechi, Ir. Rosane Giacomini e Ir. Luciane de Fáima Gomes da Fraternidade Mariana do Coração de Jesus, foram acolhidas na Paróquia Divino Espírito Santo - Varginha MG, pelo Exmo. Dom Diamantino Prata de Carvalho, OFM - Bispo da Diocese da Campanha MG e pelo Revmo. Pároco Pe. José Felipe Dalcégio, SCJ. 



quarta-feira, 21 de maio de 2014


No último dia 17 de maio, esteve celebrando a Missa pela beatificação do Servo de Deus Padre Aloísio Boeing SCJ, na Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário - Jaraguá do Sul SC, o Padre Mauro Vilela, diretor administrativo da TV e Rádio Aparecida. Na ocasião, Padre Mauro C.Ss.R. presenteou a Fraternidade Mariana do Coração de Jesus com uma imagem fac-símile de Nossa Senhora Aparecida, que acompanhará as Irmãs Rosane Giacomini, Teresinha Demenech e Luciane de F. Gomes, na nova casa da Fraternidade que será fundada na cidade de Varginha MG, a partir do dia 26 de maio deste ano.
Cremos que a Mãe Aparecida quer estar mais perto de nós, sobretudo, neste ano em que a Fraternidade celebra seus 40 anos de fundação. Cremos que Maria vem para passar na frente, abrir os caminhos e nos ensinar a ser outras Marias na vida de tantos irmãos que necessitam de nossa presença, de nossa visita e de nosso auxílio.
Seja bem vinda, Mãe Aparecida!

Ir. Luciane


segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Fraternidade Mariana do Coração de Jesus


HISTÓRICO

A partir do dia dois de agosto de 1974, numa primeira sexta-feira do mês, o grupo iniciou a vida em comunidade. Eram quatro jovens, professoras e estudantes. Formadas por Pe. Aloísio, scj, e em torno ao sacrário, o grupo hauria e continua haurindo forças para viver a vida espiritual, fraterna e de trabalho, no espírito de amor, reparação e misericórdia.

Com a chegada de novos membros, a vida foi-se consolidando, mediante intensa vida de oração, missa, adoração, leitura espiritual, devoção mariana, dias de recolhimento e frequentes palestras e reflexões de Padre Aloísio Boeing, scj.

O trabalho constituía-se em continuidade à vida de oração. Ativas, mas com dimensão contemplativa. Vida e ação, com dimensão Eucarística.

Os trabalhos iniciais da Fraternidade foram realizados junto aos sacerdotes, nas casas paroquiais, nas secretarias paroquiais, nas sacristias, na catequese e junto às famílias, nos serviços gerais das casas, e ainda nas escolas, como professoras.

As irmãs dedicam à oração, todo o tempo não ocupado no trabalho ou no descanso.  O sacrário é a meta para a qual tende todo o ser e todo o agir do grupo. Sem a união com o Coração Eucarístico de Jesus, qualquer ação torna-se pobre, estéril e fraca. “Sem mim, nada podeis fazer”! (Jo 15,5).

(Compêndio da Espiritualidade
Virtudes e Devoção da
Fraternidade Mariana do Coração de Jesus)